Perfeccionismo: Sim ou Não?

Você já sentiu que nada que fazia era bom o suficiente?  Ou que as pessoas nunca fazem as coisas da maneira correta?  Tem dificuldades de aceitar erros e fica frustrado com frequência? Se a maioria das perguntas foram respondidas com sim, existe a possibilidade de você ser uma pessoa perfeccionista. Mas isso é uma coisa boa, não é mesmo? Nem sempre.

Muitas vezes o excesso de perfeccionismo pode acarretar sobrecarga emocional, distúrbios alimentares ou outras consequências físicas, por isso, nesse texto você vai descobrir até que ponto as características perfeccionistas são saudáveis.

O Que é Perfeccionismo?

“Pessoa que busca realizar tudo com perfeição; quem age com excelência e com o maior apuro possível.”
Dicio – Dicionário online de português

O perfeccionismo consiste em um comportamento que deseja realizar todas as tarefas com o maior empenho e excelência possíveis.  As pessoas perfeccionistas, geralmente, possuem um desejo de realizar suas tarefas de maneira impecável, sem espaço para erros ou resultados pouco satisfatórios.

Seu nível de padrão é muito alto e, com frequência, sentem-se frustradas por não acharem que são boas o suficientes ou que o outro não está cumprindo com suas altas expectativas.
É verdade que sempre devemos fazer as coisas da melhor maneira possível, mas o pensamento de ser PERFEITO não pode guiar nossas ações e emoções. Mas afinal de contas, eu sou ou não sou perfeccionista?

Como Identificar o Perfeccionismo

Algumas características são comuns em todas as pessoas perfeccionistas e abaixo você pode se identificar ou não com elas:

  • Foco e organização em tudo que faz
  • Muita atenção aos detalhes
  • Refaz a mesma tarefa repetidas vezes, até que fique perto da perfeição
  • Muita responsabilidade e determinação
  • Dificuldade em aceitar falhas
  • Dificuldade em trabalhar em grupo ( o outro nunca vai fazer tão bem como eu)
  • Nunca fica satisfeito com o que faz, tem a impressão de que sempre falta alguma coisa
  • Dificuldade em aceitar críticas
  • Crítica e Autocrítica elevada
  • Procrastinação (às vezes está tão preocupado com a perfeição, que sofre para começar um trabalho)

Se você se identificou com a maioria dos pontos acima, tenho algo para te contar, você é um perfeccionista. Mas não está sozinho nisso! Uma pesquisa realizada pela Universidade de West Virginia, nos Estados Unidos, afirma que duas a cada cinco crianças e adolescentes são perfeccionistas.

As pessoas que possuem este perfil muitas vezes se sentem angustiadas por ter medo de falhar, acompanhado com cobranças excessivas delas mesmas e dos outros.
Cuidado! A autocrítica pode ser prejudicial pois interfere em suas relações pessoais e profissionais, e pode se tornar um hábito tóxico para sua vida.

O Perigo do Perfeccionismo

Algumas características do perfeccionismo são de fato boas, como a dedicação para alguma tarefa, porém, especialistas afirmam que o principal problema do perfeccionismo é que muitas vezes ele é tratado como uma qualidade.
Provavelmente você conhece alguém que em uma entrevista de emprego afirmou que uma de seus pontos fortes é ser perfeccionista.

O olhar fantasioso sobre esse comportamento pode, muitas vezes, ocultar a verdadeira motivação dele: a crítica.
Uma pessoa crítica não consegue lidar com as próprias falhas, e gasta muita energia emocional tentando superá-las, o que pode acarretar em um estresse e esgotamento.

De acordo com pesquisas realizadas pela Universidade de West Virgínia, nos Estados Unidos, essa tendência está relacionada com uma série de condições clínicas preocupantes como depressão, ansiedade, transtorno de ansiedade social, transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), compulsão alimentar, síndrome de fadiga crônica, insônia e dores de cabeça.
Por isso, é importante estar atento aos seus níveis de exigência e buscar ajuda profissional, se necessário.

Como Me Livrar do Perfeccionismo?

Assim como todos os hábitos disfuncionais, o primeiro passo para se libertar é admitir, reconhecer que você tem essa dificuldade e decidir abrir mão dela.  Não é fácil, mas é possível.

Se você quer aumentar sua produtividade e ficar livre desse comportamento, precisa se libertar do “perfeito” e colocar em prática somente o “feito”. Esse pode ser o primeiro passo , e aqui estão outras dicas que podem te ajudar:

Comece aos poucos.

Arrisque deixar algumas coisas como estão e veja o que pode acontecer quando não se atinge a perfeição.

Peça ajuda para os mais próximos:

Termine um projeto sem revisão, envie para um colega e pergunte a opinião dele.
Você vai descobrir que às vezes as pessoas te acham muito bom no que faz, mas a sua autocrítica te impede de acreditar no que eles dizem.

Troque de lugar com o outro:

Imagine que seu amigo está lutando para vencer o perfeccionismo e você não tem essa dificuldade.
Você o trataria com compaixão? O que diria?
Faça o exercício de direcionar essas palavras a si mesmo.

Defina limites de tempos para seus projetos:

Se o seu perfeccionismo dificulta o tempo de entrega dos seus projetos, defina um limite como duas horas, por exemplo para determinada tarefa. Após esse período, ouse aceitar a possibilidade dele estar pronto.

Tente substituir sua “voz interior”:

Ao invés de críticas, diga a si mesmo que está fazendo um bom trabalho. Elogie-se.
A frustração de achar que não é bom é exaustiva.

Por fim, se você leu esse artigo, colocou os passos em prática e não obteve sucesso em se livrar de alguma parcela do perfeccionismo, não hesite em procurar uma ajuda profissional.
Às vezes a vida é muito mais perfeita quando temos dias imperfeitos, e se você conseguir se reinventar, verá que vai estar muito mais feliz!

Publicado por: